sexta-feira, agosto 26, 2011

Uma história de amor dessas que a gente vê por aí

   Ele dizia que não queria ir, mas também não fazia o menor esforço pra ficar. Ela só queria que ele tomasse uma decisão, porque isso já não cabia mais a ela. Ele estava ocupado demais e distraído demais e indiferente demais pra se preocupar com o que ela queria. Os dias foram se passando e eles foram se afastando e perdendo aquela coisa tão linda e tão deles que tanto os fez feliz.

   O tempo passou e ela cansou de esperar por uma atitude dele, resolveu seguir com a vida, por mais que doesse deixá-lo para trás. Ele estava tão distraído que custou a notar que ela não estava mais lá esperando por ele. Ela conheceu outros caras, fez amigos, foi a festas e se divertiu o mais intensamente possível, sem nem ao menos lembrar dele. Ele ficou perdido quando ligou e ela não estava lá para atender o telefone e depois, quando ela levou dias para responder o e-mail e quando a resposta revelou uma dura indiferença. Ela nem deu muita atenção aquela tentativa de aproximação. Ele era orgulhoso demais para correr atrás.

   Um dia finalmente se encontraram. Ela brilhava, exalava vida e alegria. Ele, bem, ele continuava o mesmo, mas não tão distraído e indiferente. Se cumprimentaram e ela se deu conta de que sentia falta dele, enquanto ele pensou que era um idiota e que podia ter perdido a mulher da sua vida. Cada um foi para o seu lado e como a festa estava lotadas não se viram mais. Já no final da noite, quando apenas uns três ou nove, bêbados demais pra notarem que a festa havia acabado, ainda vagava por lá os dois se viram de novo. Ela caminhava com um sorriso leve nos lábios, a sandálias numa mão e um copo na outra. Ele abriu um sorriso quando a viu e foi na sua direção. Ela pensou em se mostrar indiferente, mas era muito tarde e ela estava muito bêbada para fazer tipo. Ele disse: “Eu sinto sua falta.” Ela apenas sorriu. Os dois se beijaram, o beijo mais intenso de toda a sua história, carregado com todas as desculpas e as saudades e os ‘eu te amo’ que foram acumulados nesses meses separados. Ele a olhou nos olhos e disse: ”Eu nunca mais quero te perder.” Ela sorriu de novo, e cantou junto com a música que saía das caixas de som do bar: “Então me abraça forte e diz mais uma vez que já estamos distantes de tudo…”

Nenhum comentário:

Postar um comentário

- Se não leu o texto não comente só para eu comentar no seu blog, não me dou ao trabalho de responder esse tipo de comentário.
- Faça comentários relacionados ao texto, se quiser falar sobre outro assunto existem várias outras formas de entrar em contato comigo.
- Se quiser deixar o link do seu blog comente com Open ID, meu blog não é uma página de propagandas.
- Não peça para eu seguir seu blog, twitter, etc. Se eu achar interessante seguirei por conta própria.
- E se usar um texto meu me avise e dê os créditos. Plágio é crime!

Enfim, não gostaria de ser chata impondo regras aos comentários, mas algumas pessoas exageram.
Espero compreendam e que tenham gostado do blog.
Voltem e comentem sempre. ;)
Beijo :*