sexta-feira, março 12, 2010

Redenção.

OgAAAGlivAWK7jzAfNjujdseLQTyVi0grPD28WNezqBG4nluyvf9j9szCt_S-MWWjTqD0nkE_tBSxiSsb-OEE-0PrFAAm1T1UEUmgf0cFcNbMH-PU13MHXTiKItIRafaela passeava pelo parque da Redenção como fazia em todas as manhãs ensolaradas de domingo. Ela adorava aquele programa, por mais clichê e repetitivo que pudesse ser. As famílias caminhando, os vendedores do famoso brique da redenção, as belezas que o parque oferecia. Era bom pra espairecer e pensar na vida. Mas naquele domingo aparentemente comum o destino lhe reservava uma surpresa.
Jonas era estudante de filosofia da USP e havia passado a semana em Porto Alegre para um seminário. Aquele era seu último dia na cidade e por isso ele resolvera conhecer o famoso parque de que todos falam. O paulista ficou encantado pelo lugar, pelas pessoas e tudo mais que viu ali. Mas uma coisa chamou mais sua atenção que os artesanatos, os acessórios e tudo que havia lá. Uma garota de cabelos escuros ondulados que caíam um pouco abaixo dos ombros, olhos verdes e sonhadores. Ela caminhava distraída como se seus pensamentos estivessem em outra dimensão. Tudo nela o encantou e ele só pensava em ficar perto dela pro resto da vida. Ele aproximou-se e disse:
- Oi, tudo bem?
Ela se assustou por ter sido trazida tão repentinamente de seus devaneios.
- Er.. Oi? Tudo bem sim. Eu te conheço ?
- Infelizmente não. Mas eu vi você andando aí tão distraída e.. você é muito bonita, sabia? Eu tive que vir falar com você.
Nem ele acreditou no que tinha acabado de fazer. Jonas costumava ser o tipo de garoto que aborda estranhas no meio de um parque, mas aquela menina mexeu com ele e fez com que ele agisse sem pensar. Ela ficou com certo medo no começo, não era de dar conversa para estranhos, mas aquele garoto com sotaque paulista tinha algo que despertava seu interesse.
- Muito obrigada pelo elogio. - Ela sorriu envergonhada. - Você não é daqui né ?
- Não, eu sou de São Paulo...
Esse foi o início de uma longa conversa. Os dois passaram quase todo o dia sentados pelo parque conversando. Almoçaram juntos e ele comprou um coração que ela gostou em uma banquinha. Em algumas horas parecia que eles se conheciam havia anos. Mas o sol já estava se pondo, Rafaela precisava voltar pra casa pois seus pais deviam estar preocupados e o avião de Jonas partiria no começo da noite. Eles se despediram como amores de uma vida que são separados. Prometeram que haveria mais, aquilo não seria um adeus. Os dois se foram de volta para suas vidas, mas nunca esqueceram um do outro. Todos os dias, quando está sozinha em seu quarto, Rafaela pega o coração que foi presente de seu amado, relembra os momentos passados e se pergunta quando o destino os unirá de novo. Porque ela tem certeza que esse dia chegará mais cedo ou mais tarde, afinal de contas só temos uma alma gêmea nesse mundo e a dela já cruzou seu caminha numa tarde ensolarada da Redenção.
“Se eu te disser que eu não vou mais voltar
(Você irá me procurar?)
Se eu te disser que eu não vou acordar
(Com quem você irá sonhar?)
Redenção - Fresno ♪

Nenhum comentário:

Postar um comentário

- Se não leu o texto não comente só para eu comentar no seu blog, não me dou ao trabalho de responder esse tipo de comentário.
- Faça comentários relacionados ao texto, se quiser falar sobre outro assunto existem várias outras formas de entrar em contato comigo.
- Se quiser deixar o link do seu blog comente com Open ID, meu blog não é uma página de propagandas.
- Não peça para eu seguir seu blog, twitter, etc. Se eu achar interessante seguirei por conta própria.
- E se usar um texto meu me avise e dê os créditos. Plágio é crime!

Enfim, não gostaria de ser chata impondo regras aos comentários, mas algumas pessoas exageram.
Espero compreendam e que tenham gostado do blog.
Voltem e comentem sempre. ;)
Beijo :*