sábado, fevereiro 13, 2010

Um adeus não dito vale mais que mil palavras.

Ela era apenas mais uma daquelas garotas que passam a vida se decepcionando com homens idiotas. E um dia encontra um cara diferente. Divertido, inteligente, carinhoso, meio romântico. Um cara pra casar, se ela não tivesse desistido do casamento ao perceber que eles invariavelmente tendem ao fracasso. Mas ele fez com que ela repensasse suas teorias e resolvesse acreditar. Eles viveram um lindo conto de fadas... tá, mentira. Ninguém nunca vive um conto de fadas. Mas eles foram bem felizes e tiveram momentos incríveis. Ela começou a acreditar que talvez ele fosse a razão de sua má sorte com os homens, porque o destino se encarregou de mandar embora todos os outros pra que ela não perdesse a chance de ficar com ele quando a hora chegasse. É incrível como as cicatrizes do passado podem ser apagadas ou maquiadas para que se possa acreditar no futuro, não?! Mas bem, todo e qualquer relacionamento - por melhor que seja - um dia chega ao fim. E ela, mais do que ninguém deveria saber disso. Bem, o fato é que um dia a bolha de felicidade em que eles viviam começou a murchar. As brigas se tornaram mais frequentes e fazer as pazes deixou de ser divertido. Alguns defeitos se tornaram quase insuportáveis e ele de repente percebeu que estar com ela não era o melhor. Ele terminou tudo e ela realmente desabou. A queda foi tão grande que todos pensaram que ela nunca se levantaria. Mas ela é mulher, e como as mulheres têm mil vidas, um belo dia secou as lágrimas, ajeitou o cabelo e se levantou como uma bela fênix ressurgindo das cinzas. Ele ficou no passado como mais um babaca que não valeu a pena. E ela segui em frente, cada dia mais feliz e mais livre. Porém, essa não é a história toda. Um dia, eles se reencontraram. Ele de alguma forma que ela não compreendia parecia simples e sem graça demais. Ela de uma forma que ele também não podia compreender estava mais fascinante do que nunca. Ao vê-lo ela não pronunciou uma palavra, apenas sorriu e se foi. Não demorou uma semana pra que ele batesse a porta com um buquê de flores em uma mão e seu coração na outra. Ela mais uma vez não disse nada, pegou o buquê sorrindo e se virou pra entrar em casa. Ele pensou por uma fração de segundo que tudo estivesse perdoado, mas aí ela jogou as flores aos seus pés e fechou a porta. Pra sempre.

3 comentários:

  1. Uhuuul! Esse mereceu - meu Deus, às vezes eu me surpreendo com a minha maldade, ha.

    Mas é triste saber que alguém faz uma pessoa sofrer desse jeito, mesmo que a gente costume imaginar que dessa vez o final será feliz. Por isso nos decepcionamos.
    Amei o conto!

    ResponderExcluir
  2. ahhhhhhhhhh, que lindo, que triste, que tudo.
    Boa sorte (y

    -------------
    Moderadora Bloínquês

    ResponderExcluir

- Se não leu o texto não comente só para eu comentar no seu blog, não me dou ao trabalho de responder esse tipo de comentário.
- Faça comentários relacionados ao texto, se quiser falar sobre outro assunto existem várias outras formas de entrar em contato comigo.
- Se quiser deixar o link do seu blog comente com Open ID, meu blog não é uma página de propagandas.
- Não peça para eu seguir seu blog, twitter, etc. Se eu achar interessante seguirei por conta própria.
- E se usar um texto meu me avise e dê os créditos. Plágio é crime!

Enfim, não gostaria de ser chata impondo regras aos comentários, mas algumas pessoas exageram.
Espero compreendam e que tenham gostado do blog.
Voltem e comentem sempre. ;)
Beijo :*