sábado, janeiro 02, 2010

Tudo que eu odeio amar.

O tempo vai passando, a saudade aperta, a angústia aumenta e eu fico cada vez mais irritada. Eu sei que não vai demorar muito mais pra ele chegar aqui na frente e eu descer correndo, não pra abraçar, mas pra xingá-lo pelo atraso. E aí a gente vai ficar ali falando dos outros relacionamentos e suas bobagens e complicações. Ele vai falar uma quantidade absurda de bobagens, eu vou morrer de rir e de vontade de bater nele. Depois ele vai me abraça daquele jeito que me faz flutuar ou qualquer coisa assim. A gente vai ficar ali por um tempo como se nada mais no mundo importasse (e pra mim não importa mesmo) até ele precisar ir embora e eu já começar a sentir saudade quando ele me der o último beijo. Esse é o meu problema. Eu cobro demais e sugo demais mesmo sem perceber. Eu não me contento em receber pequenas doses bem distribuídas do carinho dele. Eu preciso de tudo o tempo todo senão eu fico me sentindo toda oca, com aquela sensação de falta. E eu odeio isso. Odeio a forma como ele me deixou besta e dependente e apaixonada. Odeio essa coisa maluca de pensar nele todas as horas do dia, todos os dias. Odeio o jeito como ele me conquistou aos poucos e o fato de ele ser irresistível. Odeio tudo ligado a ele porque é esse o conjunto que me aprisiona e me enlouquece e me faz gostar dele cada dia mais. E odeio a maneira como isso me deixa vulnerável. Se eu pudesse odiava ele também por ser assim lindo e divertido e carinhoso e atencioso e apaixonante e tão feito pra mim. Mas eu não posso, por mais que eu odeie estar completamente apaixonada e vulnerável, sentir isso me faz um bem que eu não saberia descrever. A linha que divide amor é ódio é tão tênue que por vezes fica quase impossível identificá-la. E é isso que torna os sentimentos tão fascinantes. Eu odeio tanto tudo que vem dele que adoraria tê-lo comigo pro resto da vida. Parece contraditório o que eu mais odeio ser também o que eu mais amo. Mas bem, seres humanos e seus sentimentos são demasiadamente complexos para serem julgados e rotulados de maneira tão simples.

6 comentários:

  1. Olá!

    Enquanto eu estava lendo o texto logo a música 7 Things - Miley Cyrus veio na minha cabeça... XD
    Gostei bastante do texto ;)

    Thanks pela avaliação lá no Blorkutando.

    Bye bye

    ResponderExcluir
  2. Esses sentimentos nos fazem um bem danado neh!
    Beijos e lindo texto.

    ResponderExcluir
  3. Dificil descrever nós seres Humanos, a cada dia mais me surpreendo. É o que mais odeia, é o que mais ama, é a Paixão de dois olhares.

    ResponderExcluir
  4. E isso é mais comum do que parece. A linha que divide os sentimentos é tênue mesmo, amor e ódio andam, muitas vezes, lado a lado e de mãos dadas. Isso faz com que tudo seja mais emocionante.

    Lembrei do filme água com açúcar do "10 coisas que eu odeio em você" kkkk xD

    Beijo!

    ResponderExcluir
  5. lindo texto! e ainda soube expressar super bem o que estava sentindo! adorei!

    bjos e boa semana pra ti!!!

    ResponderExcluir
  6. Muito lindo o texto, se expressou muito bem e ah, adorei seu blog :)
    Beijos

    ResponderExcluir

- Se não leu o texto não comente só para eu comentar no seu blog, não me dou ao trabalho de responder esse tipo de comentário.
- Faça comentários relacionados ao texto, se quiser falar sobre outro assunto existem várias outras formas de entrar em contato comigo.
- Se quiser deixar o link do seu blog comente com Open ID, meu blog não é uma página de propagandas.
- Não peça para eu seguir seu blog, twitter, etc. Se eu achar interessante seguirei por conta própria.
- E se usar um texto meu me avise e dê os créditos. Plágio é crime!

Enfim, não gostaria de ser chata impondo regras aos comentários, mas algumas pessoas exageram.
Espero compreendam e que tenham gostado do blog.
Voltem e comentem sempre. ;)
Beijo :*