sábado, janeiro 30, 2010

Mais um textinho depressivo sobre qualquer bobagem que resolveu sair de mim.

Pela primeira vez desde que cheguei na praia eu não consegui segurar as lágrimas. Foi só eu ficar sozinha com o meu travesseiro que eu baixei a guarda e elas vieram. Vieram calmas, lá do fundo da alma. Lá daquele lugar onde falta e sangra e dói. E elas vieram me lembrar que eu preciso de alguém que seja um pouco meu e que saiba se dar aos pouquinhos, um pouquinho que seja suficiente pra eu não querer sugar ele todo.

Às vezes eu acho que eu nunca vou encontrar e que vou chegar no fim sem perceber o real sentido da vida que passou. É como se os anos fossem vir e quando finalmente parassem eu ainda estaria meio oca esperando por aquela sensação que eu não sei como é, mas que eu sei que será única. A sensação de que alguém vai tapar aquele buraco e eu vou parar de sangrar, de doer e de chorar. A casa dia que passa a sensação parece demorar mais pra chegar e parece que eu nunca vou saber como é essa coisa de jamais haver algo igual na vida. A morte vai me encontrar ainda oca e incompleta, chorando sozinha no meu travesseiro e escrevendo meus textinhos depressivos numa agenda velha. Esperando que talvez eles sejam lidos por pessoas completas e felizes e me perguntando quantos mais serão escritos até que a morte resolva chegar.

 

22/01/2010

Mais um da praia people!

10 comentários:

  1. Pronto, não sou da industria tabajara mais também resolvo seus problemas, me dei para você. E a entregua será feita da seguinte forma: Você aparentemente está no sul e eu em são paulo, irei a cada dia dar um passo a seu encontro dessa forma você não vai me sugar todo (quanta bobeira minha!).

    Falei do "Esacadaria para nenhum lugar" lá no blog, se quiser passa lé!

    Abraços!

    ResponderExcluir
  2. Por um acaso a senhorita tem quantos anos?
    Ok, esquece a pergunta...
    Negócio é o seguinte. Me vi nas tuas palavras, vi um jeito que eu tinha alguns anos atrás (não, não sou uma velha, só tenho 21 xD). Pensava desse jeito, exatamente igual.

    Bastou esses anos passarem, eu virar uma cdf, 'comer livros' e finalmente ser encontrada por alguém.
    É esquecer o desespero por um tempo e dedicar-se a outra coisa. Parece simples, mas não é. Óbvio que não é, mas a gente precisa tentar.

    É que nem a letra da Ana Carolina: "não vou viver como alguém que espera um novo amor, há outras coisas no caminho aonde eu vou..."
    Faz falta, mas não é a única coisa.
    Quando a gente distrai, parece que acontece mais rápido, sabe?

    Eita, falei demais kkkk um monte de bobagem.
    Enfim... melhoras, Gabe.

    Beijo! ^^

    ResponderExcluir
  3. Pessoas felizes e completas nunca entenderão as palavras de pessoas "normais"...

    Te Adoro Gabeeeee!

    Bjinhos... ;)

    ResponderExcluir
  4. nao acho que seja bobagem, me sinto assim tb, como se precisasse me completar com algo e sinto muito medo que a vida passe e eu não ache esse algo :(

    Adorei seu blog ^^
    :*

    ResponderExcluir
  5. nossa muito lindo aqui , passa lá no meu ? *_*
    segue que eu te sigo beejs :*

    ResponderExcluir
  6. Lindo seu blog, parabéns!
    Você escreve bem. =)
    Eu também tenho vários desses momentos, em que parece que está faltando algo/alguém que me complete, me acalme.
    x)

    ResponderExcluir
  7. KCT!
    amei seu post'
    diz tanta coisa em tão poucas palavras!
    e traduz o sentimentos de muitas pessoas, assim como fez cmg'

    vc tem talento Flor'
    to te seguindo. ^^'

    ResponderExcluir
  8. é as vezes é oreciso gorfar tudo que nos encomoda

    ResponderExcluir
  9. ain, adorei! *-*
    sab, eu me sinto assim muitas vezes... mas qnd eu estou realmente mal, eu escrevo. Se não resolver, vou passar um tempo com minhas amigas, curti um pouco e tentar esqueçer... aproveite que tah na praia e curta muiiiito!
    Quem sab num apareçe um surfista gatxiiinhho!? iashusahasuhsa

    beijO*
    Adorei! Tô seguiiindo

    ResponderExcluir

- Se não leu o texto não comente só para eu comentar no seu blog, não me dou ao trabalho de responder esse tipo de comentário.
- Faça comentários relacionados ao texto, se quiser falar sobre outro assunto existem várias outras formas de entrar em contato comigo.
- Se quiser deixar o link do seu blog comente com Open ID, meu blog não é uma página de propagandas.
- Não peça para eu seguir seu blog, twitter, etc. Se eu achar interessante seguirei por conta própria.
- E se usar um texto meu me avise e dê os créditos. Plágio é crime!

Enfim, não gostaria de ser chata impondo regras aos comentários, mas algumas pessoas exageram.
Espero compreendam e que tenham gostado do blog.
Voltem e comentem sempre. ;)
Beijo :*