terça-feira, dezembro 08, 2009

Uma história de amor daquelas que não estão nos contos de fada.

    Ela era mais uma garota que havia deixado de acreditar no amor cedo demais. Isso fazia com que ela não buscasse nada além de diversão nos garotos que encontrava por aí. Por fora mostrava-se feliz com todos esses relacionamentos descartáveis, mas no fundo ela sentia falta daquele alguém pra quem ligar no meio da tarde, um ombro pra apoiar a cabeça no cinema, uma mão pra segurar despretensiosamente num passeio de fim de semana. Enfim, mesmo magoada com todas as decepções que o amor lhe trouxera ela ainda sonhava com um príncipe encantado que não precisava ser exatamente príncipe, desde que a encantasse.
    Ele parecia ter também um histórico não muito bom de relacionamentos, mas não demonstrava ter desistido deles ainda. Andava por aí, talvez a procura daquela que finalmente iria fazê-lo feliz. Fazia o tipo garoto pra namorar, daqueles que te convidam pra sair sem segundas intenções, que é carinhoso e te puxa pra perto pra que descanse a cabeça no ombro dele no cinema, que anda de mãos dadas... Era praticamente um príncipe encantado que podia até não ser príncipe, mas encantava qualquer uma que ficasse perto dele por muito tempo.
    Um dia quis o destino que os dois finalmente se encontrassem e ele foi pra ela tudo que ela buscara por tanto tempo. Ela se esforçou ao máximo pra corresponder, tentando fazer com que ele se sentisse tão bem na presença dela como ela sentia-se na dele. Pra ele foi provavelmente mais uma tarde agradável. Pra ela foi o melhor primeiro encontro do mundo. Ela percebeu em pouco tempo que estava completa e irremediavelmente apaixonada por ele. Na simplicidade daquele encontro meio despretensioso estava aquilo que por várias vezes ela pagou um preço alto pra tentar.
    Mas como histórias de amor raramente são felizes, o destino quis que não fosse a hora deles. Não juntos pelo menos. Ele meio que sem querer encontrou aquela que talvez seja a garota certa pra ele e que o faz feliz como provavelmente ela não conseguiria fazer. Ela sofreu até ver que o sofrimento não o traria pra ela. Essa experiência serviu pra que ela voltasse a acreditar que “príncipes” existem sim e a fez buscar o amor novamente. Ele às vezes já não demonstra ser aquele príncipe de tempos atrás, mas ela ainda pensa que talvez haja algo reservado pra eles em algum futuro distante. O destino não os deu um final feliz, mas também não os fez tristes, nem distantes e quem sabe um dia ela volte a descobrir todo aquele encantamento de príncipe dentro dele, ao passo que ele veja nela alguém que queira encantar pela eternidade de alguns meses. Ou quem sabe um dia ninguém lembre mais dessa história. O fato é que ela nunca esquecerá da terça-feira monótona de verão em que descobriu que há esperança pra essa coisa de amor.

7 comentários:

  1. Ah, quem sabe o futuro não os reserva surpresas? ^^
    Essa vida é mesmo imprevisível, ainda mais se tratando de amor.

    Um beijo pra ti.

    ResponderExcluir
  2. Então há esperança pra essa coisa deamor? :O

    \o/

    ResponderExcluir
  3. Esperança, a ultima que morre. Não é? haha
    ah o amor, tão complicado e tão lindo *-*

    ResponderExcluir
  4. Droga... esse pessoal sempre adora escrever de amores incertos... que maldade. kkkkk
    Só que é bom quando, mesmo não dando certo, fica algo de bom.

    Nela foi a esperança. ^^

    Ei moça, só uma dica e espero que não leve a mal mesmo. Quando escrever, revisa o texto, por que sempre pode acontecer um delize bobo. Canso de ajeitar os meus kkkkkk.... as vezes erro sem notar.

    Beijo, moça! ^^

    ResponderExcluir
  5. sokasok falei sobre contos de fadas tbm \o

    ResponderExcluir
  6. Amar é bom e faz tri bem!!!
    Legal por aqui.

    ResponderExcluir
  7. e Ela merece um prêmio, por continuar acreditando no amor, e no amor por Ele.
    adorei *-*
    :*

    ResponderExcluir

- Se não leu o texto não comente só para eu comentar no seu blog, não me dou ao trabalho de responder esse tipo de comentário.
- Faça comentários relacionados ao texto, se quiser falar sobre outro assunto existem várias outras formas de entrar em contato comigo.
- Se quiser deixar o link do seu blog comente com Open ID, meu blog não é uma página de propagandas.
- Não peça para eu seguir seu blog, twitter, etc. Se eu achar interessante seguirei por conta própria.
- E se usar um texto meu me avise e dê os créditos. Plágio é crime!

Enfim, não gostaria de ser chata impondo regras aos comentários, mas algumas pessoas exageram.
Espero compreendam e que tenham gostado do blog.
Voltem e comentem sempre. ;)
Beijo :*