domingo, dezembro 27, 2009

O início de uma história de (quase) amor

   Os dois se conheceram meio que sem querer. Não digo que foi coincidência pois acredito no destino. Mas foi bem por acaso que eles um dia começaram a se falar. Numa conversa despretensiosa e dois estranhos que nunca tinham se visto antes tornaram-se amigos. Logo se formou um laço de cumplicidade e confiança muito grande entre os dois que foram tornando-se mais íntimos a cada dia.
   Ela achava-o meio bobo, romântico e atencioso demais para seus planos. E ria da forma como ele dizia-se fascinado por ela e por suas ideias de liberdade e pessoas se amando sem cobranças e sem traições. Ele era o tipo de cara pra casar sabe ? Mas ela não pretendia casar. De início ele pareceram tão opostos que pensaram ser impossível que acontecesse algo além da amizade.  Ele não pensava em trair a namorada. Ela não tinha muito interesse em ficar com ele. Mas fato é que um carinho muito grande foi surgindo, acompanhado de um desejo incontrolável. Ela foi conquistada pela jeito carinhoso e atencioso dele. Pela maneira como ele mostrava-se disponível e interessado nos problemas dela. Ele não estava de todo contente com o seu relacionamento e viu nela provavelmente uma válvula de escape. As coisas foram indo e assim se arrastaram por meses. Nada foi além da conversa até o dia em que os dois puderam finalmente se encontrar. Não foi nada muito mirabolante, nem perto de como acontece nos romances de Hollywood. Mas de uma maneira inexplicável ela sentiu o coração bater mais forte perto dele.
   A conversa foi agradável, leve e divertida. Porém chegou um momento em que o assunto acabou (sempre chega). Ela ficou meio sem graça, o que não é comum à sua personalidade, mas aquela noite já estava diferente do que ela esperava mesmo. E depois de alguns momentos em que só o que se ouvia era o riso nervoso de quem já não sabe o que dizer ou como agir ele veio em sua direção. O corpo paralisado; o coração acelerado; o nervosismo tão grande que parecia a primeira vez, tudo isso cessou quando os lábios dele tocaram os dela. Foi algo diferente do que ela esperava. As sensações não eram desconhecidas, mas a surpreenderam. O tempo passou rápido demais e os beijos e carinho tiveram de ser interrompidos. Ele a deixou com a promessa de que voltaria. Mas ela terminou aquela noite com muito mais do que uma simples promessa. No momento em que ele saiu ela conheceu uma alguém que tornaria-se sua companheira dali em diante: a sensação de que algo está faltando. A partir daquele dia ela nunca mais esteve sozinha pois a falta dele a acompanhava fazendo-a sempre inquieta e um pouco triste.
   A paixão que começou a surgir de maneira imperceptível durante suas conversas se manifestou pra ela no instante em que seus lábios tocaram os dele. Não era essa a vontade dela, mas não se pode controlar essas coisas. Agora lhe resta apenas esperar que ele volte e que ela seja capaz de despertar nele o mesmo sentimento. Não será um caminho fácil, mas ela gosta de desafios, principalmente os que valem a pena. E tê-lo por perto vale a pena como nenhum um outro antes dele valeu.

Um comentário:

- Se não leu o texto não comente só para eu comentar no seu blog, não me dou ao trabalho de responder esse tipo de comentário.
- Faça comentários relacionados ao texto, se quiser falar sobre outro assunto existem várias outras formas de entrar em contato comigo.
- Se quiser deixar o link do seu blog comente com Open ID, meu blog não é uma página de propagandas.
- Não peça para eu seguir seu blog, twitter, etc. Se eu achar interessante seguirei por conta própria.
- E se usar um texto meu me avise e dê os créditos. Plágio é crime!

Enfim, não gostaria de ser chata impondo regras aos comentários, mas algumas pessoas exageram.
Espero compreendam e que tenham gostado do blog.
Voltem e comentem sempre. ;)
Beijo :*