segunda-feira, outubro 05, 2009

Too weak to give in and too strong to lose.

E hoje tudo que eu queria era me esquecer do mundo. Largar tudo e me perder por aí. Me perder de mim mesma pra nunca mais me achar. Porque eu tô tão cansada. E não é um cansaço só físico, é emocional também. Porque nos últimos anos eu me desgastei demais por pessoas e coisas que não valeram a pena. E chegando aqui, eu vejo que não sei de onde vou tirar forças para o próximo passo, que deverá ser grande a não ser que eu queira me enterrar de vez. Eu saí fazendo milhares de coisas impensadas e acabei metendo os pés pelas mão diversas vezes. Agora eu olho pros lados e vejo o lugar onde minhas escolhas me trouxeram, e não é o que eu esperava.  Me restam apenas duas opções: a primeira (e mais tentadora) é pedir uma dose de whisky, acender um cigarro e deixar que a vida venha da maneira que vier. Ligar o foda-se e esquecer de tudo. Ou eu posso mudar tudo. Porque essa é minha única chance para uma virada de mesa, a última chance de recomeçar. Eu não poderia apenas esquecer, seria preciso superar. Além de lutar para mudar o que virá. A segunda opção pode soar melhor para aqueles que não estão vivendo a minha vida. Mas eu garanto que se ficasse no meu lugar por um dia não haveria nem no que se pensar. A parte mais difícil é admitir a derrota, porque eu odeio perder. Mas eu não sei se meu orgulho vale o esforço de tentar mais um pouco. Sinceramente, eu só queria deitar aqui com as luzes apagadas para esperar o tempo passar. Até quando ? Não sei. Até que o cansaço fosse embora. Ou até eu encontrar forças para admitir que perdi. Mas independente de qual for a escolha, eu não queria ter que fazê-la agora. Porque minha cabeça não tem condições pra decidir nada. Eu não tenho condições para fazer nada. Finalmente eu senti o peso de tudo que vem caindo sobre mim em todo esse tempo. Todas as decepções, todos os erros e todas as más escolhas me assistem com olhar de quem julga. E o que no passado me deu força pra levantar e seguir, hoje é o que mais me leva pra baixo. Não há nenhum rosto solidário, nenhuma mão amiga que pareça disposta a me segurar. Só multidões de pessoas que não significam muita coisa. Esse pode ser o começo ou o fim de alguma coisa que eu não sei bem o que é. Só não resta dúvida de que será um marco importante, o que torna tudo mais difícil. Honestamente, eu não faço ideia de qual caminho eu vou seguir. Nem do que acontecerá daqui pra frente. Minha única certeza é que algo mudará. Espero saber logo o que vai ser.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

- Se não leu o texto não comente só para eu comentar no seu blog, não me dou ao trabalho de responder esse tipo de comentário.
- Faça comentários relacionados ao texto, se quiser falar sobre outro assunto existem várias outras formas de entrar em contato comigo.
- Se quiser deixar o link do seu blog comente com Open ID, meu blog não é uma página de propagandas.
- Não peça para eu seguir seu blog, twitter, etc. Se eu achar interessante seguirei por conta própria.
- E se usar um texto meu me avise e dê os créditos. Plágio é crime!

Enfim, não gostaria de ser chata impondo regras aos comentários, mas algumas pessoas exageram.
Espero compreendam e que tenham gostado do blog.
Voltem e comentem sempre. ;)
Beijo :*