domingo, junho 21, 2009

Vício.

Acabo de notar mais uma das minhas contradições. Eu adoro a maneira como o mundo é dinâmico, mudando o tempo todo. Sempre achei incrível ver que uma coisa certa hoje torna-se totalmente incerta amanhã. A contradição vem agora. Eu odeio a maneira como as coisas mudam rápido (haha). Odeio olha pra trás e ver que a três ou quatro dias eu estava nas nuvens e agora eu tô num lugar bem próximo ao inferno. De novo. Isso já se tornou rotina, ainda mais quando se trata da pessoa que me trouxe aqui. É sempre a mesma historinha besta e eu sempre acredito nela. E eu sempre me arrependo e morro chorando depois. Mas repito o erro de novo e de novo e de novo, como um ciclo vicioso. É óbvio que eu sei que essa é uma lição que eu tenho que aprender se eu não quiser morrer sem definir essa história. Mas vem aqui e diz pro meu coração que pelo menos uma vez na vida ele tem que ouvir a minha cabeça e parar de me guiar de acordo com suas próprias vontades. Eu tenho que me conformar que infelizmente não era pra ser e seguir em frente. Mais uma vez. Seria tão bom se fosse fácil assim. Mas eu sei que não é. Não quando o que eu quero vai contra o que eu preciso. Eu quero esquecer tudo e seguir em frente, mas de alguma forma inexplicável eu preciso dele, preciso ser dele, ficar com ele e sofrer por ele. Eu poderia até dizer adeus agora, mas quanto tempo isso duraria ? Um mês, dois, meio ano ? Provavelmente seria o tempo suficiente para amenizar a dor até que um dos dois fraquejasse e resolvesse voltar. Porque a gente sempre volta, e eu sempre acabo recaindo nos velhos hábitos. Como uma viciada em heroína ansiosa pela próxima dose. Eu volto pra minha droga sabendo que um dia ela ainda vai me matar. Mas e daí ? Viver sem amor me mataria também. Porque o meu coração não pode bater sem uma razão. Mas apesar de no momento ele é a única razão que eu posso encontrar tem caminho. Eu sei que tem, é só procurar que eu acho a saída definitiva. Eu preciso achar, antes que isso me sugue de vez e nunca mais me permita voltar. Eu preciso acabar com essa dependência totalmente insana e destrutiva antes que ela acabe comigo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

- Se não leu o texto não comente só para eu comentar no seu blog, não me dou ao trabalho de responder esse tipo de comentário.
- Faça comentários relacionados ao texto, se quiser falar sobre outro assunto existem várias outras formas de entrar em contato comigo.
- Se quiser deixar o link do seu blog comente com Open ID, meu blog não é uma página de propagandas.
- Não peça para eu seguir seu blog, twitter, etc. Se eu achar interessante seguirei por conta própria.
- E se usar um texto meu me avise e dê os créditos. Plágio é crime!

Enfim, não gostaria de ser chata impondo regras aos comentários, mas algumas pessoas exageram.
Espero compreendam e que tenham gostado do blog.
Voltem e comentem sempre. ;)
Beijo :*