domingo, abril 19, 2009

O amor certo na hora errada.

Fico deitada olhando pela janela e pensando no dia que passou. Pensei nele o dia todo. Não sei se foram meus sonho, ou o fato da distância entre nós ter aumentado, mas ele tem estado mais presente nos últimos dias. Meu coração o trouxe de volta, direto pros meus pensamentos. Isso tudo pra que eu fique aqui pensando no que não aconteceu, me punindo por não saber qual foi o meu erro, ou se houve um erro. É difícil vê-lo ir, por mais que eu saiba que não era pra ele ficar. É triste ver que uma coisa tão boa não poderia me pertencer. Será que se eu não fosse louca ele gostaria de mim ? Se eu não me sentisse no céu quando ele me beija eu teria uma chance ? Se eu não dormisse bem toda vez que lembro do toque dele, e de como é bom ficar abraçada nele, ele iria me querer ? E se eu não pensasse nele toda vez que tenho vontade de transar, não acordasse bem depois de sonhar com ele, ou se não me viesse o nome dele quando eu penso num homem pra casar, ter filhos e fazer todas essas coisas que eu nunca quis fazer, será que ele ficaria comigo ? Que merda mesmo, porque eu sempre tenho que ser a maluca solitária que deseja tudo aquilo que nunca vai ter. Eu me odeio! E eu odeio ele. Odeio o jeito como ele me faz sonhar com ele quase toda semana, e o jeito como ele me deixa mais leve quando me dá um sorriso, e como eu esqueço do mundo quando ele me abraça, e como eu voo longe quando ele me beija. Odeio tudo. Odeio as músicas que me fazem lembrar ele, e os gostos que a gente tem em comum. Odeio ter a sensação de que ele foi feito pra mim toda vez que descubro mais uma coisa em que somos parecidos. Odeio mais ainda saber que por mais que ele tenha sido feito pra mim, eu não fui feita pra ele. Odeio rir sozinha quando eu lembro do jeito fofo de ele me pedir o primeiro beijo. Odeio saber que depois de mais de um ano ter se passado eu ainda sinto ele aqui, tão vivo, tão preso em mim, tão presente. Odeio que todas as minhas tentativas de apagar ele tenham falhado. Todas as paixões malucas, todo o sexo sem amor, todos os defeitos que eu tentei (sem sucesso) encontrar nele, nada deu certo. Agora eu tô aqui escrevendo algo que provavelmente ele vai ler e saber que é pra ele e vai ficar sem palavras, e vai achar linda (de um jeito patético) a maneira como eu gosto dele, e vai achar estranha a maneira como eu demonstro isso as vezes, e vai dizer que eu digo coisas bonitas e eu vou imaginar ele dando aquele sorriso lindo enquanto fala que me adora e vou lembrar de cada beijo, cada toque. E depois disso vem a hora em que eu deito de novo pra observar o céu ouvindo lindas músicas sobre histórias de amor fracassadas e escrevo mais um texto maluco, sobre sentimentos malucos que só quem ama a pessoa certa no momento errado vai entender.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

- Se não leu o texto não comente só para eu comentar no seu blog, não me dou ao trabalho de responder esse tipo de comentário.
- Faça comentários relacionados ao texto, se quiser falar sobre outro assunto existem várias outras formas de entrar em contato comigo.
- Se quiser deixar o link do seu blog comente com Open ID, meu blog não é uma página de propagandas.
- Não peça para eu seguir seu blog, twitter, etc. Se eu achar interessante seguirei por conta própria.
- E se usar um texto meu me avise e dê os créditos. Plágio é crime!

Enfim, não gostaria de ser chata impondo regras aos comentários, mas algumas pessoas exageram.
Espero compreendam e que tenham gostado do blog.
Voltem e comentem sempre. ;)
Beijo :*