terça-feira, janeiro 13, 2009

Fuja da bolha.

Eu queria que hoje você não fugisse. Que só por uma vez, apenas essa, você não se perdesse do meu caminho. Nossos destinos entrelaçados e esses ventos que te levam, trazem de volta e tornam a levá-lo, levam-no para um lugar onde eu não posso entrar, onde tudo que vem de mim é insignificante, e lá você fica protegido do mundo como se vivesse em uma bolha. Mas isso não dura muito, pois você é como eu e tem sede de viver, você quer sentir apenas pra ter certeza de que está vivo e quer que o mundo caia à seus pés. Você foge da bolha e os ventos te trazem pra mim, porque é aqui que você se encontra, no exato momento em que faz com que eu me perca. E na junção de nossos espíritos tudo passa a fazer sentido, as respostas surgem como se ali estivessem o tempo todo e pela eternidade daqueles instantes somos um só, mas aí alguém lhe puxa de volta a bolha porque há algo lá que você não pode deixar,algo que você teve pela vida inteira mas que nunca lhe teve por completo,mas você vai e segue o que parece ser a vontade do destino misturada a sua vontade. No momento em que os espíritos se separam algo se rompe e faíscas brilhantes dominam o ar, fragmentos de almas que se unem e se separam de acordo com vontades alheias. Você vai para o seu lugar seguro, dentro de sua bolha que imita a vida, onde suas dores se amenizam e tudo parece mais fácil. E eu fico aqui, vivendo o mundo. Eu sinto as dores das quais você se esconde e elas nem são tão ruins. E eu sinto também as cores, os sons, o sangue pulsando, as crianças sorrindo,por vezes chorando, sinto vida, sinto morte e tudo mais que há pra sentir. Enquanto isso você está ai em sua bolha, buscando respostas, perdão e até mesmo redenção, buscas tolas que o tiram o prazer de viver e sentir a intensidade das coisas. Você se esconde tanto das coisas que teme sem ver que elas estão aí dentro de você, e é por isso que quando você não se esforça pra segurá-las elas saem e é nesse momento que você mais se aproxima da verdade. O medo das feridas sangrarem lhe priva de todas as maravilhas que o mundo oferece, e se você se permitisse mais veria que sangrar nem é tão ruim. Não há feridas que não cicatrizem com o tempo, mas você só aprende isso sangrando aqui no mundo como eu e tantos outros que não tememos a eles mesmos e suas vontades. Você larga tudo pra viver anestesiado junto a pessoas que já se conformaram com não sentir, mas por mais que você as ame e que queira viver aí longe de tudo a curiosidade por vezes é mais forte e ela o traz pra mim, pra viver e amar num mundo onde tudo é mais forte, mais intenso, mais colorido e também mais cinza, mais belo e também mais feio. Um mundo contraditório, por vezes injusto, cheio de excessos e monstros que assustam àqueles que não estão acostumados a vê-los por aí, pois nas bolhas eles se escondem em baixo da cama e o assombram em pesadelos. Aqui eles estão por todos os lados, misturados a multidão, nesse mundo onde bem e mal caminham lado a lado compartilhando corpos, almas e corações. Um mundo onde as pessoas que machucam também amam e as que amam também machucam, onde você pode ir e vir sem que ninguém lhe puxe a cordinha novamente, o que às vezes lhe permite se perder, se embrenhar em caminhos desconhecidos como tudo nesse mundo de verdade, onde você pode topar com uma surpresa a cada esquina,onde você aprende a cada dia,onde os sentimentos se mesclam,as almas se misturam e os corações se encontram. Um mundo que assusta por vezes até a mim que o amo intensamente e procuro conhecê-lo cada dia mais, que machuca e faz doer, uma dor que não passa facilmente, que não pode ser escondida, um mundo onde tudo que é ruim parece pior da mesma forma que o que é bom fica a cada dia melhor. Você tem o direito de escolher entre continuar aí ou cortar a cordinha, se desligar de tudo e vir viver. Você já sabe o que quer e quando tiver a coragem necessária para fazê-lo me procure, tente me encontra sozinho dessa vez, sem que ninguém o guie ou o puxe de volta. Siga sua alma e ela o trará até mim se você assim desejar, será sua primeira aventura real no mundo e você verá o quão libertador ele pode ser.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

- Se não leu o texto não comente só para eu comentar no seu blog, não me dou ao trabalho de responder esse tipo de comentário.
- Faça comentários relacionados ao texto, se quiser falar sobre outro assunto existem várias outras formas de entrar em contato comigo.
- Se quiser deixar o link do seu blog comente com Open ID, meu blog não é uma página de propagandas.
- Não peça para eu seguir seu blog, twitter, etc. Se eu achar interessante seguirei por conta própria.
- E se usar um texto meu me avise e dê os créditos. Plágio é crime!

Enfim, não gostaria de ser chata impondo regras aos comentários, mas algumas pessoas exageram.
Espero compreendam e que tenham gostado do blog.
Voltem e comentem sempre. ;)
Beijo :*